Capa do livro

Lis no peito: um livro que pede perdão

Ícone de premiado
Jabuti 2006 · Juvenil
Jorge Miguel Marinho
twitter logo facebook logo linkedin logo

Sobre o livro

Este livro fala de amor entre jovens, da felicidade de adiar um primeiro beijo tendo a certeza de que ele vai acontecer, de delicadezas e violências que são tão presentes no mundo de quem quer se descobrir. Há um crime, imperdoável talvez, e o possível criminoso pede para um escritor amigo escrever a sua história, porque ele mesmo não consegue entender se é culpado ou não. Precisa de outros olhos para ser condenado ou absolvido, sobretudo para continuar a viver. É aí que o leitor entra e, mesmo em silêncio, se vê responsável e seduzido para dar o seu veredicto final. Em síntese, este livro quer trazer o leitor para dentro das suas páginas e, provisoriamente, com ele dar um fim à sua história num “encontro bom” entre a mão que escreve e os olhos de quem lê. Clarice Lispector também está presente nessa trama e vai crescendo e atirando palavras dos seus livros como uma espécie de pista para que o escritor, os personagens e os leitores entrem com tudo na misteriosa e imperdível aventura de “existir” e julguem o “réu?” com aquela sensibilidade que é puríssima “revelação”. É por essas e por outras que este livro pede “perdão” e ela, a Clarice, parece dizer que toda história é “absolvida” pela simples leitura e este gesto é como alguém que dá a mão a outro alguém vivendo num instante “tudo o que se pode esperar de uma alegria.”

Páginas

184

Editora

Biruta

Como associado da Amazon, Livros Premiados recebe por compras qualificadas.

Outros premiados na categoria Infantil

Outros premiados em 2006