Capa do livro

A utopia burocrática de Máximo Modesto

Ícone de premiado
Jabuti 2002 · Romance
Dionisio Jacob
twitter logo facebook logo linkedin logo

Sobre o livro

Escrita em forma de memorandos administrativos, esta é a história do servidor público Máximo Modesto, um homem que resolve dar um passo na carreira, presta concurso e assume a gerência de uma enigmática repartição de "serviços interinos". Seus subordinados formam um conjunto bizarro; eles incluem: o filho bastardo de um juiz, cabos eleitorais presenteados com cargos públicos ou meros funcionários esquecidos nos meandros da burocracia (dona Janice, por exemplo, a secretária que fazia bico como manicure em pleno escritório). Com o novo gerente, todos eles são obrigados a retomar o trabalho. Ao enviar memorandos a seu chefe - insensível atrás de uma porta fechada -, Máximo projeta uma utopia de eficiência e modernização do serviço burocrático. O chefe nunca responde, e o gerente não demora a topar com obstáculos que, aos poucos, desfazem suas melhores expectativas. Parodiando a linguagem da burocracia, Dionisio Jacob mostra a face cômica e frágil do mundo do trabalho e das relações pessoais ocultas sob a ordem do micropoder.Prêmio Jabuti 2002 de Melhor Capa e de Melhor Romance - Menção Honrosa

Páginas

176

Editora

Companhia das Letras

Como associado da Amazon, Livros Premiados recebe por compras qualificadas.

Outros premiados na categoria Romance Literário

Outros premiados em 2002